sábado, 25 de junho de 2016

Lulla Gancia (1924 / 2016)

Neta do conde Salvadori de Weissenhof, da mais alta nobreza do Tirol Austríaco, Lulla Salvadori de Weissenhof Vallarino Gancia nasceu em Turim (ITA). Seu bisavô construiu os famosos arcos da Via Roma, e o pai chegou a ser prefeito da cidade.
Ela e Piero Gancia se conheceram ainda crianças mas desencontraram-se, após o reencontro, muitos anos depois, o casamento aconteceu e foi um dos grandes eventos da capital piemontesa em 1947. O casal foi morar no castelo dos Gancia em Canelli, na região de Asti.
A família de Piero produzia, desde meados do século 19, os famosos vinhos e vermutes Gancia, mas seus pais haviam se mudado para a Argentina com os outros filhos para abrir uma frente de negócios, muito bem-sucedida por sinal, na América Latina.
No castelo, Lulla e Piero tiveram o primeiro filho, Carlo, e, pouco antes dele completar 1 ano, partiram para Montevidéu. A Guerra da Coreia estava pipocando, e o temor de uma terceira guerra mundial os levou a deixar a Itália.
No Uruguai, nasceu a primeira filha, Eleonora, a Kika, mas resolveram mudar. E por que não São Paulo, no pulsante Brasil? Mudaram-se em 1953, abriram a Gancia, e o sobrenome da família acabou se tornando sinônimo do bom vermute italiano. Foi no país que nasceu a caçula da família, a hoje jornalista Barbara Gancia, que diz:
“- Minha mãe era muito bonita, à frente de seu tempo. Foi feminista sem saber.”
Quando Piero Gancia correu em Interlagos pela primeira vez, aos 39 anos, a bordo de seu Alfa Romeo e fazendo dupla com Celso Lara Barberis em janeiro de 1962, ouviu umas poucas e boas da esposa Lulla, que estava na Europa. Ele tentou convencê-la de que “... não havia nada de mais” em correr, Lulla então decidiu conferir in loco e ficou apavorada. Mas ano seguinte foi sua vez de colocar o carro na pista.
Num sábado de dezembro de 1963, a turma de pilotos amadores, na verdade não existia profissionalismo ainda, convocou seis mulheres, entre esposas e irmãs, para correrem em Interlagos, foi a “Corrida do Batom”. Lulla chegou em terceiro lugar, num Alfa Giulietta, atrás das irmãs Marise Clemente e Leonie Caíres.
Piero se tornou popular entre os pilotos e foi um porta voz dos mesmos para reivindicar a reforma da pista de Interlagos devido ao seu estado deplorável e esburacado. Numa das reuniões com o prefeito Faria Lima, no fim dos anos 60, ficou decidida a reforma, mas quem tocaria a obra? De pronto Piero sugeriu o nome da esposa:
“- Não tem pessoa melhor para levar a reforma adiante”, afirmou aos presentes.
Lulla viajou até Monza (por conta própria) para aprender como se fazia uma pista de “Primeiro Mundo”. Escalou os engenheiros, adequou o asfalto, reformou os boxes, construiu o gradil de proteção, etc...
“- Foi essa reforma que abriu espaço para que o Brasil abrigasse, em 1972, sua primeira corrida de Fórmula 1, entrando no ano seguinte para o circuito mundial”, relembra Carlo Gancia. A reforma durou dois anos 1968 / 69. 
Saiba e veja foto de Lulla com Stirling Moss, clicando aqui.
Nesse meio tempo, Piero fundiu a Gancia com a Martini e começou a importar Alfa Romeos, Ferraris e Lamborghinis para o País pela Jolly-Gancia onde era sócio de Emilio Zambello.

Carlo Gancia mantém uma galeria de fotos no Pinterest, conheça.
Você pode saber um pouco mais sobre a carreira dela clicando aqui.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Torneio Triangular 58/59

Dando continuidade ao "Torneio Triangular Sulamericano", iniciado em 1958 em Interlagos e que teve continuidade em 1959 no Uruguai e na Argentina.
Já falei da prova em Interlagos, agora vamos aos recortes das provas de Montevidéu e de Buenos Aires. 
Os carros dos paulistas chegaram à Montevidéu mas os portuários estavam em grave e não foram descarregados, impossibilitando dessa forma a participação brasileira na prova do dia 18 de janeiro. Mas os "hermanos" adiaram a prova.
Dia 21 de fevereiro foi dia de treinos, a prova havia sido transferida para o dia 22 de fevereiro
No dia 22 saiu uma pequena matéria no jornal. 
Resultado da prova saiu no jornal de terça feira dia 24 de fevereiro, nas segundas feiras o jornal não circulava. E os brasileiros não foram bem.
Na prova de Buenos Aires no dia 1 de março os brasileiros não foram bem. 
No campeonato Froilán Gonzalez sagrou-se campeão e o brasileiro melhor classificado foi Paschoal Nastromagario em 6º lugar seguido de Fritz D’Orey em 7º lugar com 3 pontos, sendo que um foi da melhor volta na prova de Interlagos.


sábado, 18 de junho de 2016

Praia Grande (SP) - 1927

Há tempos recebi de meu amigo Fernando Villafranca uma foto que mostra seus tios, Ângelo e Antônio Villafranca, disputando uma competição automobilística na Praia Grande, então lá fui eu pesquisar e descobri uma noticia no jornal Correio Paulistano de 30/12/1927. Vejam abaixo.
E foi só o que consegui, uma noticia de que ia haver a prova, mas nem o mesmo jornal publicou o resultado, nem nada mais sobre a prova.
Pois bem o Fernando tentou com a prima dele que lhe havia enviado a foto. E nada!
Ai ele passou a história para um jornalista do "Diário do Grande ABC", só que o tal jornalista fez uma confusão com os nomes, trocando o meu pelo dele. Vejam abaixo.
A intenção é ver se dando visibilidade aparece alguma noticia mais.

Clique nas imagens para ampliar

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Prova em Interlagos do Torneio Triangular em 58

Aqui no Brasil tínhamos uma revista chamada "Carro a Vista" que em sua edição de dezembro de 1958 trouxe uma matéria completa sobre a primeira prova do "Torneio Triangular Sulamericano", realizada em Interlagos no ultimo dia de novembro, depois houve as provas de Montevidéu (URU) e Buenos Aires (ARG). Se conseguir material publico aqui.
É interessante notar a falta de adesão dos pilotos brasileiros à prova, só 4 participaram, os demais inscritos estavam em categoria que não concorria ao Torneio.
Vejam em "observações" o drama vivido por Frirz D'Orey com o estouro de um pneu, Pirelli diga-se de passagem, quando a prova terminou ele desceu do carro aos berros dizendo impropérios contra a fabrica.
Nesse dia houve mais duas competições: Categoria Esporte Livre, vencida por Christian Heins e também Turismo Força Livre (Carreteras), vencida por Luiz Américo Margarido.




Clique nas imagens para ampliar

terça-feira, 14 de junho de 2016

Elvis Presley - If I Can Dream Album Documentary

Acrescento aqui o vídeo de apresentação do álbum "If I Can Dream" de Elvis Presley com arranjos e acompanhamento da Royal Philharmonic Orchestra.
O novo e extraordinário álbum lançado ano passado conta com clássicas performances vocais de Elvis e um novíssimo acompanhamento de orquestra. É um emocionante retorno à obra de Elvis com foco na voz inconfundível do artista e com ênfase na força genuína do Rei do Rock and Roll.
Gravado nos estúdios Abbey Road, em Londres no mês de outubro de 2015, com os aclamados produtores Den Reedman e Nick Patrick, o disco de 14 faixas conta com algumas das performances originais mais dramáticas de Elvis, mas incrementadas por novos arranjos luxuosos da Royal Philharmonic Orchestra.

Nome do Álbum: “If I Can Dream: Elvis Presley” with the Royal Philharmonic Orchestra,(disponível em diversas livrarias no Brasil, fisicas e virtuais).

segunda-feira, 13 de junho de 2016

José Froilán Gonzalez

Já que falamos do Torneio Triangular e de José Froilán Gonzales logo abaixo, trago aqui uma matéria publicada na revista "Coches a la Vista" falando exatamente de sua Ferrari/Chevrolet, do Torneio Triangular, do destino final dessa Ferrari, além, é claro, de Froilán.
Leiam, além da bela ilustração é muito interessante. Tem até uma dica de como surgiu a categoria Mecânica Nacional, ainda não tive tempo de averiguar se é real.

Clique nas imagens para ampliar

sábado, 11 de junho de 2016

Jan Balder - Novo livro

Dia 21 de junho de 2016, em evento na Pizzaria Cristal, vai acontecer o lançamento de mais um livro de meu amigo Jan Balder, ex-piloto (dos bons) dos anos 60, 70 e inicio dos 80, será as 19:00 hs. 
"Nos Bastidores do Automobilismo Brasileiro - Uma era de ouro". Produção independente do Jan, sem patrocínio. Não terá venda em livrarias, só mesmo com o autor.
Jan já havia lançado em 2004 um livro com mesmo nome mas tratando de automobilismo brasileiro até 1972, esse agora trata de automobilismo entre 1973 e 1982, e nos trará, com certeza, muitas informações interessantes.
Os dois livros estarão à venda no evento, o novo por $100,00 e os dois juntos por $150,00.
Compareça, lá você encontrará muitos pilotos da velha e da nova guarda que estarão prestigiando o ex-companheiro, amigo e autor.
Anotem ai: Pizzaria Cristal: R. Prof. Artur Ramos, 551 em Pinheiros, São Paulo (SP), fone:(11) 3031-0828, as 19:00 hs.
Ah... não se esqueça, se você for cumprimente o Jan pelo seu aniversário, o lançamento é no dia do aniversário dele.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Torneio Triangular Sul-Americano

Recebi em abril e-mail da Argentina onde Carlos Lioni, leitor de meu site Bandeira Quadriculada, depois de gentilmente elogiar meu trabalho anexou fotos do carro Ferrari/Corvete que havia pertencido à Froilan Gonzales e que depois de passar pelas mãos de alguns pilotos acabou sendo comprado por ele.
Enviou, entre outras, uma do desembarque dos carros argentinos quer vieram participar em Interlagos do Torneio Triangular Sul-americano em 1958, campeonato que reunia representantes de Argentina, Brasil e Uruguai, com provas nos três países.
Para a primeira prova, que foi realizada em Interlagos em 30 de novembro de 1958, vieram:
Da Argentina: Froilan Gonzalez, Ramon Requejo e Jesus Iglesias.
Do Uruguai: Astrubal Bayardo, Carlos Danvilla e Osmar M. Gonzalez.
Do Brasil: Fritz D’Orey, Franco Ciamaroni, Paschoal Nastromagario e Ciro Cayres (os três melhores iriam às provas nos outros dois países representando o país) e mais 3 que disputavam na categoria até 2500 cc, não contando pontos para o torneio.
Chegada dos carros ao porto de Santos (SP):
Froilan Gonzalez (Ferrari Corvette V8) - Ramon Requejo (Chevrolet V8) - Jesus Iglesias (Volpi-Chevrolet Wayne)

Recorte da revista Carros a Vista

quinta-feira, 2 de junho de 2016

1936 - Circuito do Jardim América

Quando estava pesquisando para meu livro "Glamour e tragédia na origem de Interlagos" onde falo sobre a corrida "Grande Premio Cidade de São Paulo" ou simplesmente "Circuito do Jardim América", em 1936 na Av. Brasil em São Paulo, vi que o "Estadão" lançou uma edição especial sobre a prova, um caderno em rotogravura, e passei a procurá-la.
Primeiro no Arquivo Publico do Estado de São Paulo, nada. Depois no site do acervo do jornal, nada de novo. Ai escrevi, mais de uma vez, ao jornal mas nem responderam. Na Internet só consegui cópia da capa do tal caderno especial. 
Isso tudo aconteceu em 2012 e 2013.
E não é que num e-mail que recebi da Itália ano passado, do Federico, que queria esclarecer algumas duvidas e no meio do e-mail ele colocou um link onde tem as melhores páginas do tal caderno, também enviou uma foto que mostra seu avô ao volante de uma Alfa que diz ser de Hellé Nice. Mas isso é assunto para uma outra postagem.
Bom... já que consegui o caderno especial em rotogravura passo à vocês uma cópia.
Se tiverem curiosidade para saber mais sobre a prova podem comprar o livro no site da Editora Expressão e Arte ou no site da Livraria Cultura.
Abaixo quatro páginas, com destaque às ilustrações, mas o "Estadão" dedicou várias páginas à cobertura da prova em suas edições normais.


Clique nas imagens para ampliar

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Selfie

E vc pensando que selfie era coisa nova, moderna, rsrsrs...
O ator e comediante Jerry Lewis durante filmagem de "The Big Mouth", em 1967.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

My Bonnie - The Beatles ou Beat Brothers

Os mais velhos aqui provavelmente já sabem, mas como sempre tem os mais novos que talvez não saibam, vamos contar e mostrar dois vídeos.
Já faz um tempo que tinha vontade de postar, mas não havia encontrado um vídeo bom. Agora achei, não um, mas dois bem montados com fotos da época, reparem que tem o “Cavern Club” e o “Top Tem Club” e uma em que aparece o Ringo Starr.

The Beatles" fizeram uma primeira gravação acompanhando o cantor inglês Tony Sheridan em 1962 ainda com sua formação original: guitarristas eram John Lennon , George Harrison e Paul McCartney, o baixista era Stuart Sutcliffe e o baterista era Pete Best. Sutcliffe participou da sessão de gravação, mas não tocou, deixando para McCartney tocar o baixo. Sutcliffe havia deixado o grupo em 61, e Pete Best foi substituído por Ringo Starr no ano seguinte.

Eles começaram a carreira em 1960 e em 1961 já acompanhavam Sheridan em Hamburgo (AL) no "Top Ten Club", onde foram descobertos pelo produtor alemão Bert Kaempfert e, convidados, assinaram com ele para gravar um disco com "My Bonnie" / "The Saint”, que foi lançado em compacto simples pela Polydor Records. No disco os créditos estão como "Tony Sheridan and The Beat Brothers", o contrato dos Beatles permitia a gravadora usar um pseudônimo caso achassem comercialmente melhor, eram iniciantes e nunca haviam gravado. Por isso esse detalhe é pouco conhecido.
A gravadora relançou o disco depois com o nome dos Beatles.

Foi através desse disco que Brian Epstein ficou conhecendo o conjunto e posteriormente se tornou seu empresário. 
Bem o resto já é muito conhecido...



A capa do compacto simples com o nome "The Beat Brothers"

quinta-feira, 26 de maio de 2016

BB King & Eric Clapton - Duas lendas

Homenagem feita em 2007 pelo mito do Blues B. B. King à Eric Clapton.

Aqui um video antigo onde BB King toca e canta com Eric Clapton acompanhados na bateria por Phil Collins

Para-choque de caminhão 2

Eu mantenho um outro site, o www.parachoquedecaminhao.com.br onde procuro resgatar e mostrar um pouco da filosofia e do humor das estradas. Tem mais de mil frases, fotos inclusive.
Publiquei recentemente aqui uma postagem onde colocava o site (domínio e conteúdo) à venda e nele coloquei a musica "Frete" de Renato Teixeira (reveja aqui), mas hoje me lembrei de uma outra musica "A vida de viajante", essa do Luiz Gonzaga em parceria com Hervé Cordovil, de quem falei um pouco numa outra postagem sobre Rua Augusta (reveja), fui ao YouTube e encontrei um vídeo interessante, mostrando exatamente caminhões.
Pois bem, aqui vai o vídeo onde de quebra podemos ver o estado das estradas brasileiras, pelo menos daquelas que não foram privatizadas. 
E tem gente que ainda é contra!

domingo, 22 de maio de 2016

Traveling Wilburys

Para começar muito bem a semana que antecede a realização das duas maiores provas automobilísticas do planeta: Indy 500 e F1 de Monaco vamos ver e ouvir a musica Handle With Care do conjunto "Traveling Wilburys". 

O "Traveling Wilburys" foi um grupo formado por George Harrison, Jeff Lynne, Roy Orbison, Bob Dylan e Tom Petty em 1988. Brincavam dizendo que era o conjunto dos irmãos Wilbury, mas lançaram apenas um disco com a formação original, em dezembro do mesmo ano Roy Orbison sofreu um ataque cardíaco fatal em Nashville. 

Difícil escolher a melhor do disco, mas com certeza essa é uma delas.
Gravaram um segundo e derradeiro álbum no ano seguinte (1989) especialmente produzido em homenagem ao amigo recém-falecido.  
Para esse grupo, todos, já famosos, adotaram nomes diferentes.

No primeiro álbum: "Traveling Wilburys Vol. 1", eles eram: 
Nelson Wilbury  -  George Harrison 
Lefty Wilbury  -  Roy Orbison

Otis Wilbury  -  Jeff Lynne

Charlie T. Wilbury Jr.  -  Tom Petty 

Lucky Wilbury  -  Bob Dylan 


Para o Segundo álbum a formação e os nomes mudaram:
Spike Wilbury  -  George Harrison
Clayton Wilbury  -  Jeff Lynne
Muddy Wilbury  -  Tom Petty
Boo Wilbury  -  Bob Dylan

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Gino Bianco

Luigi Bertetti Bianco, mais conhecido como Gino Bianco. Para quem não sabe ele foi o segundo brasileiro a participar da F1, isso em 1952. Participou de 4 provas oficiais e uma não oficial.
Essa foto é de uma prova de Subida de Montanha em Canoas (RJ) em 1951, devia estar em um carro auxiliar, pois venceu a prova a bordo de sua Maserati.
Nessa categoria foi tetracampeão no estadual do Rio de Janeiro, em 1953.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Classic Heritage

Para saber a história do circuito (com direito a filmes) clique aqui.
Para maiores informações do evento, clique aqui.

Ah... e não se esqueçam, se alguém puder ir conte para nós como foi o evento e envie fotos, muitas fotos.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Monza - 1952

Coloquei dias atrás uma postagem mostrando o motor da Maserati de Chico Landi no “V Gran Premio dell'Autodromo di Monza” em 1952.
Pois bem, hoje coloco mais uma dessa prova, do mesmo fotógrafo, Rudolfo Mailander, em que aparece Chico Landi fazendo uma ultrapassagem sobre Ken Wharton que corria com um Frazer Nash.

Essa prova foi a primeira participação de Gino Bianco na Europa, porém não concluiu a prova, desistiu na volta 28, de 35, correu também com uma Maserati A6GCM da Equipe Bandeirantes com o numero 4.
A prova era dividida em duas baterias e os brasileiros participaram só da primeira, Landi até se classificou para a segunda, mas não largou.
Nessa prova o argentino Fangio se acidentou na segunda volta da primeira bateria e ficou afastado e imobilizado por 12 semanas.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Encontro de Motocicletas e Automóveis Clássicos

ATUALIZAÇÃO URGENTE:
Recebi e-mail do Gabriel Marazzi com data de ontem a noite informando que o evento será realizado em outro local, vejam a transcrição do e-mail:


“MUDANÇA DE LOCAL
Por motivo de forças maiores, o Páteo do Marazzi vai ser realizado em outro local.
Será na Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira, também conhecida por Campos de Bagatele, em Santana. É aquela que fica ao lado do muro do Campo de Marte.
Será no sábado e no domingo, 14 e 15 de maio, a partir das 10h00 e sem hora para terminar.

Estaremos junto da Gincana do Bem, com shows de rock durante os dois dias inteiros e com infraestrutura logística, como caminhões de alimentação e sanitários.”
Clique aqui para ir à página do evento no Facebook.
Obs.: Já troquei o banner que ilustra essa postagem.

Desconsiderar as informações abaixo:
O Gabriel Marazzi enviou banner do evento "Encontro de Motocicletas e Automóveis Clássicos",  que já está em sua 12ª edição.
Vai ser em São Paulo no bairro Alto da Lapa, no dia 15 de maio nas dependências do Convento Salesiano na Rua Pio XI, 1024, esquina com a Rua Presidente Antônio Cândido. 
Parece ser bastante diversificado, carros e motos antigos, carros preparados, motonetas, etc... Na minha modesta opinião é muito curto, só 5 horas para apreciar tudo.
Clique aqui para ir à uma página do evento no Facebook.


Quem sou eu