quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Raul Seixas - Judas

Hoje fazem 25 anos que Raul nos deixou (Salvador, 28 de junho de 1945 - São Paulo, 21 de agosto de 1989), e muitos, mas muitos mesmo, Blogs estão postando homenagens, nós não poderíamos ficar de fora, então aqui vão mais dois vídeos dele.
Veja aqui mais sobre a carreira dele: http://www.parachoquedecaminhao.com.br/Raul_Seixas.htm

"A história mostra que a gente agrada Deus fazendo o que o diabo gosta" (Raul Seixas) 

"Nem todo o bem que conquistei, nem todo o mal que eu causei me dão direito de poder te ensinar" (Raul Seixas)

sábado, 9 de agosto de 2014

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Nelson Enzo Brizzi - Premio Victor

Saiba mais sobre a carreira desse preparador clicando aqui.
 

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Cascavel em alta velocidade

CASCAVEL (PR) – A história dos 50 anos do automobilismo de Cascavel será mostrada na “1ª Mostra da História do Automobilismo de Cascavel”, que será realizada de 17 a 20 deste mês, no Centro de Convenções do município.
O evento é a primeira realização do recém-criado Instituto Jaci Pian. Quem visitar a exposição terá a oportunidade de conhecer a historia do esporte que encantou os cascavelenses e faz parte da história do município. Serão expostos carros de competições atuais e do passado, fotos, painéis com reportagem das primeiras corridas realizadas nas ruas da cidade, troféus e acervos particulares de muitos pilotos.
Muitos pilotos estarão no evento, recebendo os visitantes e contando suas proezas nas pistas, como o próprio Jaci Pian, que venceu a primeira corrida realizada no Autódromo de Cascavel.
E quem for ainda poderá levar para casa um exemplar do livro "Cascavel em alta velocidade - 50 anos de automobilismo".
Clique na imagem para ampliar

segunda-feira, 7 de julho de 2014

9 de julho de 1932 / 2014

Amanhã tem jogo da seleção brasileira de futebol, o pais praticamente vai parar, e depois de amanhã será 9 de julho, uma data não devidamente valorizada, não devidamente comemorada, principalmente pelos paulistas, eles que deveriam te-la como seu principal feriado e ter muito orgulho pelos que deram a vida por aquele ideal.
A situação em 1930 não estava nada boa, mas Getúlio Vargas conseguiu deixar pior ainda com seu governo "provisório", ai veio a Revolução Constitucionalista de 1932, que mesmo perdendo ainda assim ganhou, Getúlio atendeu as reivindicações paulistas.
Vejam o que já publiquei aqui no Blog sobre o assunto e entendam um pouco mais sobre a Revolução: 
http://bit.ly/MJ4dTZhttp://bit.ly/17YeWW6http://bit.ly/12hQSnZ; http://bit.ly/19ZLzQDhttp://bit.ly/17Yfawmhttp://bit.ly/12MgfCRhttp://bit.ly/LmXmjO.
Tem também um vídeo: ttp://blogdoquadriculada.blogspot.com.br/2012/12/1932-guerra-civil.html, não deixem de ver, é longo mas vale cada minuto.
Clique na imagem para ampliar

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Antonio "Carlinhos" Aguiar

Carlinhos Aguiar foi um dos "feras" das Carreteras e dos Mecânica Nacional e já foi retratado no site Bandeira Quadriculada (veja aqui)
Pesquisando um outro assunto na Revista 4 Rodas encontrei uma sequencia de fotos de um acidente dele na Curva 3 na prova Premio John Kennedy em 11/10/64, como é muito interessante copiei para postar aqui.
Reparem a altura que era a Curva 3, vejam o Fusquinha lá embaixo.
Apesar da derrapada, pelo numero de voltas, ele ainda se classificou em nono lugar na geral e em quarto na categoria, corria com uma Ferrari/Corvette da Escuderia Lobo do Camillo Christofaro.
Vejam (clicando aqui) mais um acidente nessa curva, dessa vez com Waldemar Santilli, não deixem de explorar todos os links para ver mais detalhes sobre o acidente e sobre a carreira dele.
Clique nas fotos para ampliar
 

domingo, 22 de junho de 2014

Precursor do "Caçador de Estrelas"

Já escrevi aqui no Blog e no site sobre o "Caçador de Estrelas", estranho carro construído pelo Bica Votnamis para a "Mil Milhas Brasileiras" de 1967.
Hoje fazendo umas pesquisas sobre Nelson Enzo Brizzi, achei numa reportagem da Folha de S.Paulo sobre o "III 500 Quilômetros de Interlagos" em 1960, um carro que o corredor carioca Artur Sousa Costa, casado com a famosa cantora (na época) Emilinha Borba, pretendia construir, é muito semelhante ao Caçador, será que o Bica se inspirou nele? Vejam e comentem.
Clique nas imagens para ampliar

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Luiz Pereira Bueno, o "Peroba"

Homenagem ao piloto Luiz Pereira Bueno, o "Luizinho" ou o "Peroba", prestada pelo MG Clube do Brasil, no bairro da Lapa em São Paulo, no dia 23 de fevereiro de 2008.
Veja mais sobre o evento clicando aqui, ou aqui para ver tudo que já foi publicado sobre ele no Blog.


segunda-feira, 9 de junho de 2014

Carreteras

Para você que nasceu depois dos anos 70...
Uma maravilhosa visão do que eram as carreteras e como eram as corridas de rua no Rio Grande do Sul, e de certa forma no resto do Brasil.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Lançamento livro "24 Horas de Interlagos - A História"

Esse é um livro que não deve faltar na biblioteca dos fãs de automobilismo.
Para quem não está em S.Paulo, já está a venda no site da Livraria Cultura: http://bit.ly/1rlpJmF
Ou direto com o autor: prperalta@yahoo.com.br

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Boxes de Interlagos em 1970

Boxes de Interlagos na "Mil Milhas Brasileiras" de 1970, ainda não havia Hospitality Center nenhum, ainda se podia ver o circuito quase todo, não sei porque não construíram os boxes pelo lado de fora da pista, assim se preservaria a principal característica de Interlagos: a visão quase total do circuito.

Saindo de uma parada o Fúria/FNM de Jayme Silva e Ugo Galina.

Foto de Karl Ludvigsen
 

Lista dos inscritos na prova
 
Interlagos em 1973, mas os boxes ainda eram baixos.

domingo, 18 de maio de 2014

Pré-Lançamento "24 Horas de Interlagos - A História"


Venda de pré lançamento!
Direto com o autor (prperalta@yahoo.com.br)
Preço: R$ 35,00 - Sem frete.

Lançamento marcado para dia 5 de junho na Livraria da Vila do Shopping Higienópolis, av. Higienópolis, 618 (piso Pacaembu)
 a partir das 18h30.

Toda a história dessa prova, bastidores inclusive.
Criada por Eloi Gogliano e Wilson Fittipaldi pelo Centauro Motor Clube em 1960 e destinada a carros nacionais de qualquer marca nos parâmetros de nacionalização do GEIA (Grupo Executivo da Indústria Automobilística).
Foram realizadas apenas 4 edições dessa prova: a primeira em 1960, e a quarta e ultima em 1970.


Depoimento de vários pilotos participantes.
 
Apesar de ter sido uma prova criada e destinada a se tornar tão tradicional quanto sua homônima francesa, não foi o que aconteceu. Saiba por que lendo o livro.
Agora já a venda no site da Livraria Cultura, clique aqui.

Copa do Mundo


Resposta de João Baptista Figueiredo para o então presidente da FIFA, João Havelange, sobre a possibilidade da realização da Copa do Mundo de 1986 no Brasil. Pois é... e dizem que ele era ditador, que não gostava do cheiro do povo...

terça-feira, 13 de maio de 2014

Publico em Interlagos (a falta de)

Muito se tem falado sobre a falta de publico nas provas automobilísticas em Interlagos, todo Blog, site ou fórum toca nesse assunto: constatam, comentam, criticam, etc...
Eu lembro que nos anos 60, quando eu frequentava regularmente Interlagos, qualquer corrida tinha muito publico, nos anos 70 eu já não frequentava muito, mas acompanhava pela imprensa e o publico ainda era grande, a partir dos anos 80 não tenho muitas informações, mas o publico já começava a diminuir.
Mas vejamos: nos anos 60 havia muito menos opções de lazer; os automóveis estavam começando a se tornar mais acessíveis; as corridas eram multimarcas e as pessoas iam torcer por sua marca favorita; a imprensa falava de qualquer prova, pois eram tratados como eventos esportivos e não de marketing. Mas é claro que isso não esgota nem explica o assunto, hoje a realidade é outra, o automobilismo precisa se reinventar.
Atualmente há uma oferta imensa de opções de lazer; a quantidade de marcas é muito grande; a maioria das corridas é monomarca, e ainda tem a TV que leva o evento até sua casa. A considerar também que o publico recebe a F1, categoria maior, em casa e fica mal acostumado, ai as corridas regionais perdem importância.
Que esporte ainda tem público até hoje? Só o futebol, os outros esportes todos têm fases de destaque e de queda na preferencia. E por quê?
Arrisco um palpite, o futebol produz seguidamente ídolos, cada time tem um ou mais de um, já nos outros esportes os ídolos aparecem esporadicamente, e observem que são nesses momentos que esses esportes têm algum destaque de publico. O automobilismo teve seu ultimo ídolo há muito tempo, Ayrton Senna, e assim mesmo era um ídolo internacional, nada a ver com o automobilismo nacional.
No automobilismo caseiro, além da quase totalidade das corridas serem monomarca, que a meu ver já causa certo desinteresse, pois todos sabem que carro vai ganhar, tem também o fato de que pouquíssimos (parentes e amigos) conhecem quem está correndo, são uns desconhecidos para a grande maioria das pessoas. Nesse sentido a Stock Car é a única que consegue levar um publico considerável, mas talvez isso se deva a distribuição de ingressos pelos patrocinadores. “- Ei... tem também o publico da Fórmula Truck.”, dirão vocês.
E eu respondo: estamos falando de automobilismo, corrida de caminhão é qualquer coisa, menos automobilismo (caminhão é força, não velocidade), mas podemos tirar sim alguma explicação disso: é uma categoria multimarca, onde cada torcedor escolhe uma marca para torcer, mas também é feita distribuição de ingressos pelos patrocinadores.
Penso que o que falta no automobilismo sejam ídolos. Nem precisam ser ídolos, só precisam ser populares, serem conhecidos, e para isso precisariam participar de programas esportivos como fazem os jogadores de futebol, ter as provas de automobilismo discutidas na TV, mas em qualquer emissora, não apenas na que tem a exclusividade da prova. Raríssimas vezes se vê piloto na TV, com exceção do programa “Linha de Chegada” do Reginaldo Leme, mas esse é um programa dirigido à um publico já torcedor de automobilismo.
Seria muito bom ter pilotos participando de noticiários esportivos, programas de entrevistas e programas de auditório, só assim para se tornarem conhecidos do grande publico.
Mas será que as acessorias de imprensa não tem capacidade para conseguir isso? Acho que não. Todas categorias estão atreladas à um patrocinador master e a emissora quer anuncio para veicular, ou então é o programa que tem um patrocínio concorrente e ai a coisa fica difícil, além do que na pauta das emissoras o automobilismo não é considerado popular e sim elitista.
Lembro que o “500 Km de Interlagos” era uma promoção da “Folha de S.Paulo”, mas não era exclusiva, toda a imprensa dava cobertura à prova, diferente de hoje em dia, quando cada emissora tem exclusividade sobre alguma corrida/categoria e as outras nada divulgam. Tem também a falta de interesse dos promotores pela bilheteria pois com o advento do patrocínio eles já têm seus custos cobertos e estão pouco se lixando se tem publico ou não.
Mas se isso fosse feito o publico iria criar empatia por algum piloto e passaria a ir aos autódromos torcer por ele, desde que a prova não fosse realizada no mesmo dia e horário de jogos de futebol, afinal concorrer com o futebol é uma furada.
Tá! Sei que não é tão simples assim, devem ter muitos outros fatores envolvidos, mas isso seria de grande valia pelo menos para trazer de volta a popularidade que o automobilismo já teve.

500 Km de 1963

500 km 2010

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Copa Brasil, quarta etapa - 1970

Foto de Rogério P.D. Luz mostrando o grid da quarta etapa da "Copa Brasil", essa é com certeza a do dia 27 de dezembro de 1970 pois tem a Lola T70 de Norman Casari e o Opala de Carlos Sgarbi e eles só participaram dessa etapa, vemos também a outra Lola T70 de Wilsinho Fittipaldi, a carretera Chevrolet Corvette de Camillo Christófaro; o Fúria-FNM de Jayme Silva, e alguns outros protótipos, o Opala 3800 de Carlos Alberto Sgarbi, um Fusca "Zé do Caixão" com motor 1900, de Silvio Montenegro. Se alguém souber e quiser identificar os outros carros/pilotos, ou mesmo fazer algum comentário, fique à vontade.
Jayme Silva  provou mais uma vez seu valor, terminando a "Copa Brasil" em sexto lugar com 8 pontos, primeiro entre os carros "made in Brazil": o protótipo Furia/FNM numero 26 construído por Toni Bianco, os outros pilotos brasileiros, os irmãos Wilsinho e Emerson Fittipaldi, corriam com carros importados e os demais classificados eram pilotos estrangeiros com carros estrangeiros.
Clique na foto para ampliar

Comentário publicado na revista 4 Rodas de jan/71
Anuncio da prova

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Formula Indy em Brasília?

             Em março deste ano a Rede Bandeirantes e a IndyCar anunciaram a reinclusão do Brasil no calendário da categoria em 8 de março de 2015 (veja aqui), e esse acordo se estenderá até 2019. As provas deverão ser realizadas no “Autódromo Internacional Nelson Piquet” em Brasília. Inaugurado em 1974, com uma corrida extracampeonato de Formula 1 que teve a vitória de Emerson Fittipaldi, não passou por mudanças significativas em suas dependências desde então, na época se chamava “Autódromo Presidente Emílio Garrastazu Médici” (conheça a história do autódromo).
O Termo de Compromisso com a organização do evento foi assinado dia 21 de março, em São Paulo, pelo governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz, e representantes da Rede Bandeirantes, que detém os direitos de exclusividade para a organização e a realização da corrida no Brasil, além da presença do ex-presidente Lula.
Brasília será a terceira cidade brasileira a receber a Indy. Antes, a competição passou pelo Rio de Janeiro, no oval do finado autódromo de Jacarepaguá, entre 1996 e 2000, e por São Paulo, no circuito de rua do Anhembi, entre 2010 e 2013.
O autódromo, todos sabem, não tem condições de infra estrutura nem de segurança, fora o asfalto que precisa ser refeito, para poder abrigar uma prova desse porte. O projeto de engenharia, que está sendo executado pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), prevê como principal alteração a modificação do traçado da pista para aumentar a segurança dos pilotos. Com isso, o trajeto ficará com 5,1 km, e a reta será de um quilômetro, em vez de 800 metros (como? não há espaço para isso). Depois das alterações na pista, serão feitos os boxes e, posteriormente, as arquibancadas definitivas. O governo do DF estima em R$ 150 milhões, mas como vocês sabem o governo é do PT, então podem esperar que se sair, essa reforma vai custar pelo menos o dobro.
Interlagos, esse ano, passará por uma reforma e terá toda sua pista recapeada e seus boxes ampliados, e para isso ficará fechado por quatro meses, e olhe que é uma obra bem menor que as previstas em Brasília. Quem quiser acreditar que as obras sairão do papel não deve esquecer que esse anuncio aconteceu dois meses depois desse mesmo governo cancelar a prova de MotoGP que seria em setembro desse ano alegando não haver “tempo hábil” para o circuito ser reformado. Será que para a F-Indy haverá “tempo hábil”?
Em junho começa a Copa do Mundo de futebol com vários jogos em Brasília, e o estádio é ao lado do autódromo, duvido muito que haverá obras nesse período. E logo após a Copa começa a campanha para as eleições de outubro, e o governador tem um alto índice de rejeição, o que talvez explique a presença do ex-presidente Lula no anuncio da prova em Brasília.
              Não havia nenhum representante da IndyCar, estranho não? Não havia também ninguém da CBA, previsível não?
Eu particularmente estou torcendo muito para que tudo aconteça conforme prometido, pois assim teremos mais um autódromo de nível decente para nossas provas nacionais também, mas não tenho muita confiança nisso, me parece mais um jogo de cena politico para alavancar a candidatura de Agnelo Queiroz, pois o que e para que estaria o ex-presidente presente?
              
Não se esqueçam que é só um Termo de Compromisso a reforma do autódromo... e se o governador não for reeleito pode ficar só por isso mesmo, então não se surpreendam se a prova acontecer nas ruas da capital, pois o contrato com a IndyCar terá que ser cumprido.
Fontes:
Aqui aparece a explicação para a reta de 1 km, mas é muita obra para ser feita até março.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Interlagos no sentido horário

Estava me lembrando, nem sei direito porque, da prova “250 Milhas de Interlagos”, promovida pela APVC presidida na época por Eduardo Celidonio, e que teve a vitória de Camillo Christofaro e Antônio Carlos Aguiar em 19 de dezembro de 1965, quase um mês depois da “VII Mil Milhas Brasileiras” vencida que foi por Victorio Azzalin e Justino de Maio com uma carretera comprada de Caetano Damiani, que chegou em segundo fazendo dupla com Bica Votnamis.
Me lembrei, acho, porque foi uma de algumas provas daquela década realizada no sentido horário, ao contrário ao tradicional sentido anti-horário utilizado até hoje.
Tudo isso para perguntar: será que ninguém pensou em fazer uma corrida no novo circuito de Interlagos no sentido horário?
Olhando o desenho da pista me parece muito evidente ser esse o sentido melhor, a pista foi encurtada, mutilada e ficou mais fácil, me parece ser muito mais interessante agora faze-la no sentido horário, as adaptações nem seriam muitas, como observado pelo "anônimo" nos comentários, uma seria uma área de escape bastante grande na Junção pois os carros chegarão ali em velocidade elevada vindo de uma descida.
Largada em frente aos boxes, como hoje, pequena reta até o Café, desce (sem a chicane) até a Junção, faz o Mergulho, em subida, até chegar ao Bico de Pato, depois Pinheirinho, Laranja e Descida do Lago (agora em subida), Reta Oposta, Sol, e ai a parte que me parece mais interessante, o Esse do Senna feito ao contrário, em subida.
Que acham? “
"- Ahh, mas o Sr Bernie Ecclestone não vai topar”, dirão vocês, e eu respondo: 
“- Que se dane o Bernie, nós somos donos de Interlagos, não ele, a F1 que continue fazendo do mesmo jeito, mas nas nossas corridas mandamos nós”.


sexta-feira, 11 de abril de 2014

Quem sou eu